sábado, 18 de abril de 2009

Fragmento em 18 de Abril

De quando em quando, prezando por seu instinto de autopreservação, agia de maneira permissiva em seu sono, deixando espaço para que fosse pleno naquilo que de melhor sonhava: ser feliz exclusivamente com o que a vida lhe daria como recompensa por ser para-si. O que mais haveria de melhor em bastar-se no que era? Ser pleno não inclui exageros...

Um comentário:

ROBSON SANTOS BERTOLDO disse...

belo texto, não suma, apareça e comente o meu blog.
hasta
siempre